A chegada da Helena {uma história de parto domiciliar}

Conheci a Fernanda e o Adriano na Roda de Gestantes das doulas Joana Andrade e Taiza Nóbrega, com quem tenho mais do que uma parceria… elas se tornaram amigas bem queridas. Nas Rodas muitas vezes é bem corrido e nem sempre consigo conversar com calma com as gestantes. Não me lembro muito bem se chegamos a conversar sobre fotografia de parto na Roda. Acredito que não ou que tenhamos apenas nos falado bem rapidinho. Mas me lembro do e-mail bem humorado da Fernanda, em que ela dizia já ter navegado por toda a minha vida digital, e que me atiçou a curiosidade de conhecer melhor aquela família e, se estivesse escrito nas estrelas, fotografar aquele parto.

Na visita pré-parto já percebi a mulher incrível que queria me contratar. Que sorte a minha! O Jão me estranhou no início, mas logo virou meu amigo, querendo chamego debaixo da mesa enquanto papeávamos com café. Conversamos sobre várias coisas e até sobre a fotografia do parto. Agora restava esperar chegar a hora.

Quando um parto vai se aproximando, tenho que adaptar minha rotina e tento sempre emanar muitos pensamentos positivos para a família, para o bebê que está perto de passar para esse outro lado. Pensei na Fê e mandei um e-mail por volta das 23h perguntando se estava tudo bem, pedindo notícias ou algo do gênero. Na manhã seguinte chega a mensagem dizendo que o trabalho de parto já estava bem adiantado. Nem pestanejei! Parei o que estava fazendo e corri pra casa onde Helena estava prestes a nascer.

Uma das parteiras já estava lá. Passou pra examinar e quando viu que a Fê estava com 9 centímetros de dilatação, achou mais prudente ficar. Jão deu umas latidinhas, mas depois lembrou do meu cheiro e voltou a ser meu amigo. A Fê não parecia a mulher falante que eu havia conhecido… Estava completamente concentrada no seu corpo, no seu processo.

O tempo foi passando e ela estava tranquila. Sentia as dores e relaxava quando as contrações passavam. Se movimentava pela casa. Agachava, levantava, caminhava. Lá pelas tantas foi pra piscina. Permanecia calada, mas continuava intensa. A piscina facilmente tomava ares de tsunami durante as contrações. Fê mordia um pano, mordeu o marido e acho que até a parteira… Mas em trabalho de parto tudo é permitido!

Jão de vez em quando dava um cheirinho encorajador e depois ficava só de longe observando. Ele sabia que algo de diferente estava acontecendo. Helena estava bem perto de chegar!

Ela nasceu tranquila, na água. Foi direto pro colo de sua mãe. Tenho a impressão de que ela nem percebeu que nasceu, de tão serena que estava. Aos pouquinhos foi abrindo seus olhos pra ver aqueles que já conhecia da vida dentro da barriga. A Fê voltou a ser a mulher falante que conheci. E aquela família não cabia em si de tanta felicidade!

Depois fiquei sabendo que bem cedo, assim que começaram as contrações, a Fê pediu pro Adriano me mandar uma mensagem avisando que o trabalho de parto estava iniciando. Passaram poucas horas e eu não tinha dado resposta. A Fê, mesmo na partolândia, estranhou e resolveu mandar outra mensagem. Foi aí que viu que a primeira mensagem foi pra outra pessoa… Viram como estava escrito nas estrelas?

Fiquei na dúvida quanto ao título do post. O primeiro que me passou pela cabeça foi “Jão, tsunami na piscina e uma calça rasgada”. O Jão vocês já viram. Também já falei sobre o tsunami na piscina. Mas e a calça?

Procurando um ângulo diferente, me abaixei e ouvi aquele barulho desesperador do rasgão da calça… Ufa! Foi no joelho! Pena que era minha calça favorita… Mas tudo pela arte! 😉

Essas meninas lindas que acompanharam o parto foram a Ana Cyntia e Iara, parteiras da equipe Luz de Candeeiro.



9 respostas para “A chegada da Helena {uma história de parto domiciliar}”

  1. Ana disse:

    Fotos lindas e emocionantes! Amei as fotos com o Jão! Felicidades à família

  2. Lu Cabral disse:

    Bello!!! Como poucos….especialmente pelo cãozinho.

  3. Victória Araújo disse:

    Ana, Moça, Flor.! Você simplesmente arrasa… Eterniza cada lindo momento, cada vida, cada olhar.!

  4. Mara disse:

    Sempre me emociono com os relatos dos seus trabalhos! Parabéns!

  5. Camila Scola disse:

    Parabéns Anaa… que lindoooo!! me arrepiei admirando essas fotos!

  6. Luiz Carlos Sobrinho disse:

    Olá Ana Paula,
    Não tive o prazer de lhe conhecer pessoalmente, mais fiquei encantado com as fotos e a história contada, na verdade estou presente em uma das fotos que você tirou: estou do outro lado da linha sendo comunicado pelo Adriano do nascimento de minha neta.
    Todas as vezes que vejo ou revejo as fotos do parto de minha filha me emociono muito e desta vez não foi diferente. Enfim quero lhe dar os Parabéns pelo trabalho retratando até as emoções dos envolvidos e isso inclui o Jão também.
    Grande beijo e mais uma vez “PARABÉNS”

  7. Suelen disse:

    Ola Ana. Sou do Brasil mas moro na Argentina! Estou emocionada com seu trabalho, muito lindo Parabens! Suas fotos, e seus textos são humanos e verdadeiros. Eu tive um lindo parto natural, e agora vou ingressar nesse universo de fotografar partos. Desejo tudo de bom pra voce. 🙂

  8. Suelen querida, muito obrigada pelo carinho! Fico feliz em saber que minhas fotos e palavras te tocaram de alguma forma.
    Fotografar partos é um trabalho muito especial, de muita sensibilidade. Muito sucesso pra você! Volte sempre por aqui.
    Beijo

  9. Ana Soledad disse:

    Chicos felicidades, hoy ustedes a traves de sus fotos hicieron que decida pasar (pasemos, Edgardo y yo) esa linda experiencia en mi hogar todos juntos en familia, junto a mis dos hijos peludos> poncho y pumba. Mis mejores deseos para ustedes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *