Com o pé direito… e com o esquerdo também!

Muitas pessoas têm superstições com relação a anos pares e anos ímpares. Não sou dessas. Penso sempre naquilo que passou e no que pode ser melhor, não importa que ano seja. O ano de 2017 foi muito especial, cheio de realizações profissionais e pessoais. Tive momentos tristes, como a perda da minha amada Ivete, momentos de preocupação, de medo. Quem nunca? Assim como a necessidade faz o sapo pular, as dificuldades muitas vezes não só nos tornam mais fortes como nos fazem sair da zona de conforto. Essa é uma das vias de crescimento.

Também não sou de enumerar muitas metas, pois quando não as realizo acabo me frustrando, mas pensei em algumas no início de 2017. Uma delas foi ter mais tempo para um café. Café com meu companheiro, com amigos, com clientes, com colegas fotógrafos. Deixar o “vamos marcar” de lado e de fato investir um tempo nessas trocas tão valiosas. Dar uma pausa na rotina, no trabalho e se dar um tempo para respirar. Pausas são necessárias. Tenho aprendido isso. E é justamente por essa razão que já está terminando janeiro e só agora consegui fazer esse post. rs

Fotografei muitas famílias, de diferentes formas, em diferentes fases. Histórias únicas e especiais de pessoas que eu não conhecia e de pessoas que já tinham sido fotografadas por mim. Algumas tenho a alegria de dizer que viraram amigas. Vivenciei momentos tristes e felizes com elas que, de alguma maneira, me tocaram. Se por um lado as fotografias têm o poder de mexer com aqueles que as veem, fotografar me transforma, tendo em vista a conexão que existe entre nós e toda a subjetividade envolvida no processo.

Como é bom sentir essa tal de conexão! Entre mim e as pessoas que cruzam meu caminho e entre mim e meu próprio trabalho. Senti isso quando fui preparar minha apresentação para a palestra que ministrei no congresso Newborn Solution. Que delícia reviver os nascimentos que fotografei! Me emocionei, ri, chorei e coloquei como meta (lá vem esse papo de meta!) revisitar o meu trabalho com mais frequência. Senti um baita orgulho dessa missão que tomei como profissão. Sabe quando você sente que nasceu para isso? Com certeza dá uma renovada na energia.

Com toda certeza, a palestra no Newborn Solution foi um ponto que mereceu destaque no ano que se foi. O tema era fotografia de parto e dentro do mesmo resolvi falar sobre as delícias e os desafios de fotografar o nascer. Achei importante abordar não somente a parte gratificante, mas também as dificuldades que enfrentamos, dando alguns nortes de como evitá-las ou ao menos reduzi-las. Eu estava MUITO nervosa! Já tinha ministrado palestra em congresso de fotografia antes, mas falar em público é sempre um desafio pra mim, que apesar de leonina falante sou muito tímida. Mesmo com uma família inteira de borboletas no estômago, tentei passar minha mensagem, sempre tentando expressar o cuidado e o carinho com os quais desempenho cada trabalho. As perguntas do público foram muitas e recebi retornos muito positivos e motivadores pela minha apresentação. Um beijo especial para as meninas do Newborn Solution que confiaram em meu trabalho e me fizeram esse convite!

Além disso, toda a preparação e conexão com o conteúdo me encorajou a desengavetar um projeto que estava escondidinho, mas que agora está tomando forma e será lançado em algumas semanas: minha consultoria online em fotografia de parto. \o/ (se você tem interesse, me escreva! contato@anapaulabatista.com.br)

Por falar em projetos engavetados, 2017 foi o ano em que tirei mais um do mundo das ideias. Há pelo menos três anos eu vinha com vontade de começar a retratar mulheres em seus universos. Fiz alguns workshops, cursos, venho estudando sobre o assunto e num lampejo de coragem nasceu o Alma Nua. Minha ideia é estar de alma despida e peito aberto para acolher e fotografar mulheres. Cada uma com sua bagagem, com suas habilidades, suas luzes e suas sombras. O site está em construção, mas já tem um Instagram cheio de fotos lindas. 🙂

Voltei a fazer terapia, retomei meu hábito de leitura como entretenimento, continuo apaixonada, não consegui retomar as atividades físicas, aprendi a fazer macarrons, toquei triângulo pela primeira vez, ressignifiquei o Tem Laranja dentro de mim, me cerquei de pessoas inspiradoras e tenho investido em cursos de planejamento, marketing e comunicação. Estou muito animada, cheia de planos e expectativas para 2018. Quero fotografar muito, continuar tendo tempo para um café, aprendendo sempre, me desafiando e confiando mais em mim.

Apesar de o mundo estar ao avesso e das várias crises que nos cercam e nos afetam, no meu mundinho o saldo é muito positivo. Sigo me conhecendo melhor, ouvindo cada vez mais a minha intuição e olhando para mim mesma de forma mais gentil e amorosa. Olho para 2017 com olhos de gratidão e para 2018 com olhos de alegria, cheia de expectativas e esperança no coração. Começo o ano com o pé direito e com o esquerdo também, compassados rumo aos lugares que o destino e o meu esforço me levarão.

Para finalizar, deixo para vocês um vídeo com alguns pedacinhos de 2017. Só tenho a agradecer a cada família que me confiou a missão de retratar momentos únicos de suas vidas. E vamo que vamo que 2018 já começou! Quem vem comigo?

 

Pedacinhos de 2017 from Ana Paula Batista on Vimeo.

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *