E foi em casa, cheio de amor {fotografia de nascimento}

Era uma manhã de sábado e eu estava de saída pra pegar o metrô pra fotografar um evento de gestantes em um parque da cidade quando meu telefone tocou. Era a doula dizendo que a Laiany estava em trabalho de parto. Ela disse que talvez ainda fosse demorar um pouco pro bebê nascer e que me manteria informada. Ainda deu tempo de voltar em casa e pegar outra lente que eu sabia que seria necessária e a mais adequada para a ocasião.

Por volta da hora do almoço, depois de fotografar a caminhada das gestantes, caminhar um bocado, pegar metrô, táxi, cheguei à casa da Laiany e do Wilson. O Claudinho ainda não havia nascido. Lá estavam a doula, as parteiras, a mãe da Laiany e sua caçula… todos na expectativa pela chegada do Claudinho.

As contrações da Laiany eram muito fortes, mas tão fortes quanto suas contrações eram as mãos e os braços do Wilson e da doula, Taíza. Braços e mãos fortes o suficiente para segurar a Laiany nas horas em que a dor vinha, mas também extremamente carinhosos para acariciar o rosto, os cabelos dela e mostrar a ela que eles estavam ali a seu lado.

A mãe de Laiany a abraçava de longe. Ela fazia o almoço. Entre uma mexida e outra na panela, também mostrava a seu genro que estava ali os apoiando. Dava pra ver em seus olhos a preocupação de mãe e o carinho pela filha. Mas também dava pra perceber seu sorriso quando falávamos que o Claudinho estava pertinho de chegar e que logo ela estaria com seu netinho nos braços.

Poucas horas depois, Claudinho nasceu. Nasceu em sua casa, como seus pais quiseram. Nasceu rodeado por pessoas que já o amavam mesmo antes de ver seu rostinho. Nasceu aparado pelas mãos do pai e foi logo pro aconchego do colo de sua mãe. Nasceu!

Nessas horas em que estive lá vivi uma das experiências mais marcantes da minha vida. Já presenciei alguns nascimentos, seja por via cirúrgica ou por via natural. Sempre me emociono. Como ver o milagre do nascimento sem se emocionar? Mas a sensação que tive nesse dia foi muito diferente e inesquecível. Apenas pelo fato de ter sido o primeiro parto domiciliar? Acredito que não foi só isso… Acho que vai muito além. A experiência de ver uma mulher guerreira, totalmente ativa em seu parto, uma família amorosa e presente em todos os momentos, a natureza mostrando sua perfeição, um bebê que nasceu tranquilo, em seu tempo, sem chorar… talvez tudo isso tenha influenciado. Só sei que o nascimento do Claudinho entrou também pra minha história.

EDITADO: Fui procurada pela galera massa do Atelliê Fotografia e eles me pediram pra publicar algo sobre partos. Então, publiquei lá o texto que eu tinha guardado só pra mim, contando essa experiência de outra forma. Passa lá!  http://atelliefotografia.mtv.uol.com.br/grandes-nomes/o-claudinho-nasceu-em-casa-por-ana-paula-batista/



36 respostas para “E foi em casa, cheio de amor {fotografia de nascimento}”

  1. ludmila disse:

    Que fotos mais lindaaaaaaas! Me emocionei… Parabens, Ana… parabéns aos pais!

  2. Virgínia disse:

    Ana que emoção!
    Li o texto, mas as fotos falam por sí. Que momento lindo, mágico, único…
    Post está pura emoção.
    Parabéns pelo post, pelas fotos, por ter participado desse momento.
    Bjs
    Vi

  3. Viva!!!! ; ) E que todos os bebês tenham o direito de nascer no seu tempo, com o respeito que merecem! Parabéns. ; )

  4. Roseane Moura disse:

    Quando vejo partos assim, meu coração vibra! MUITO!
    Parabéns querida pelas fotos, estão carregadas de emoção.

    ” O que é o medo senão o desconhecido, o absolutamente novo? Aquilo que não podemos reconhecer nem classificar?
    Para que o recém-nascido não sinta medo é preciso revelar-lhe o mundo lentamente, de forma progressiva.
    Não oferecer mais sensações novas do que ele possa suportar, assimilar.
    E, assim, é preciso multiplicar as lembranças, as impressões do passado, para que o bebê possa relacioná-las.
    Até que, no universo totalmente desconhecido e, portanto, hostil, algo familiar venha tranquilizá-lo, acalmá-lo.”
    Trecho do livro Nascer Sorrindo de Frédérick Leboyer

  5. Daniela Lamarão via Facebook disse:

    Fotos lindas de um momento maravilhoso na vida de um casal.

  6. Marina Guimarães via Facebook disse:

    fotografar esses momentos deve ser emocionante. e ter esses registros é muito precioso.
    lindo, ana!
    e parabéns pra mãe e família, pq eu sei o trabalho q dá nadar contra a corrente pra poder parir naturalmente.

  7. Muito obrigada, Marina Guimarães! Esse trabalho foi muito diferente de tudo o que eu já tinha feito. E realmente não é qualquer um que tem coragem de peitar todo mundo, muitas vezes a própria família, pra poder escolher como e onde parir. :)

  8. Daniela Lamarão lindona! Que bom te ver por aqui!!! Muito obrigada, querida. Fico feliz que tenha gostado.

  9. Já pode chorar?! Lindooo, voltei naquele dia da caminhada… E continuo me lamentando por não ter vc comigo no parto do Diogo. Fiquei com vontade de ter outro e de ter em casa, será, será?!?!

  10. E que meninão, a mamãe foi guerreira, parabéns!

  11. Perfeitooooo… sem palavras… Tenho certeza que foi um momento muuuuuuuuuito emocionante para todos.

  12. Lorena Alves, já sabe… se tiver o terceiro é só me chamar. Eu adoraria ter fotografado o nascimento do Diogo. Você e sua família são muito especiais pra mim! <3

  13. Muito obrigada, Leo Barcellos Fotografando! Foi muito emocionante sim! Uns minutos depois que o Claudinho nasceu, que passou aquela preocupação em ter as fotos do primeiro momento, eu chorava sem parar. Nunca chorei tanto em um parto como foi nesse.

  14. Beta Bernardo disse:

    Maravilhoso, amiga!! Que emoção, que lindeza, que delicadeza!! Lentes certeiras e sensíveis num momento ímpar! Parabéns! E felicidades à família! Sorte deles ter você por perto!
    Bjks

  15. Muito orgulho de tanta lindeza e sensibilidade!

  16. Que lindo registro Ana… pura sensibilidade, fiquei emocionada vendo e lendo!

  17. Lia Lotito e Beta Bernardo, suas lindas! Muito obrigada!!! Fico muito feliz que pessoas talentosas como vocês tenham gostado e se emocionado com esse parto. Beijos pras duas!

  18. Presenciar (e registrar) a beleza e a força de um parto natural é muito especial mesmo! E se ainda por cima for domiciliar, tem toda a atmosfera gostosa das pessoas das pessoas que vivem lá. Os detalhes da casa, as comidinhas, a luz, as pessoas… tudo do jeitinho que a parturiente desejou para este momento tão mágico que o nascimento de um filho. Na minha ainda curta carreira na fotografia, só registrei dois partos e ambos foram domiciliares. Não tenho palavras para expressar o quanto me sinto privilegiada por estar presente nestes dois nascimentos.
    Parabéns Ana Paula!

  19. Fabi Ribeiro, realmente é muito especial estar no ambiente daquela família, pois eles estão tendo seu bebê da forma como desejaram, cercados pelas pessoas que escolheram, respeitando o tempo do seu bebê. Achei tudo muito lindo e espero ter outras oportunidades como essa. :)

  20. parto normal com quase 4 kg , muito lindo e emocionante … parabéns !!!

  21. Um meninão, né Manu Rodrigues Ciadovento?

  22. Carol Amorim via Facebook disse:

    Um grande Sonho meu! <3

  23. Nane Ferreira disse:

    Até chorei :) lindo, parabéns Ana, as fotos estão lindas….:)

  24. Myrtes disse:

    Que lindo!!! Que mágico!!!! Um verdadeiro espetáculo!!!! Parabéns Ana!!!

  25. hilderlene disse:

    muito emocionante ,parabens ao pais…show,,

  26. Anna Paula Losi via Facebook disse:

    Parabéns Ana!

  27. Paula Janaína disse:

    Aaafffffff estou muitíssima emocionada !!!!! Não resistir em parabenizar. Só quem é mãe entende algumas sensações… E a sensibilidade e simplicidade da FOTÓGRAFA , vixeeee vou ali respirar….

  28. Paula Santana via Facebook disse:

    Vou curti 1000 vezes!! lindo infinitamente.

  29. Flávia Ilíada via Facebook disse:

    😉

  30. Sensacional! lindo! parabens!

  31. Érika disse:

    Muito lindo, me emocionei vendo essas fotos maravilhosa, espero em Deus assim que engravidar conseguir fazer meu parto em casa…parabenss…bjoss

Deixe uma resposta