Mainha, tô no SOS Mães!

Quando eu era criança, quis ser muitas coisas diante da terrível pergunta “o que você quer ser quando crescer?”. Professora, veterinária, cantora, cientista, paquita… Não imaginava que seria fotógrafa, psicóloga, bacharel em direito, chef da minha cozinha. Na adolescência, ganhei uma máquina de escrever de uma tia do meu pai, daquelas manuais pequenininhas antigas, e dizia que ia ser escritora. Íamos pra roça nos fins de semana e eu com minha máquina a tiracolo. Sentava à sombra de uma árvore e escrevia umas caraminholas daqui, outras dali. Arrisquei uns versos. Hoje não sei onde andam os versos e nem a máquina, mas trago comigo essas lembranças e elas me fazem sorrir.

Apesar desse desejo de adolescente, nunca me considerei habilidosa com palavras. No adestramento para vestibular ensino médio, segundo grau na época, não tínhamos incentivo para produzir nada diferente do que as bancas pedem no exame. Tive uma formação acadêmica que me exigia uma produção escrita mais técnica, objetiva e nada artística, tanto na psicologia como no direito. Entre relatórios, artigos científicos e peças processuais, tudo era muito formal e padronizado. Mesmo assim, a escrita das outras pessoas é algo que me chama a atenção. Admiro quem escreve bem, começando por meu pai. Quando comecei a estudar fotografia, criei um blog e me vi com mais liberdade para escrever o que eu quisesse, da forma como quisesse, sem ter que me prender a padrões e regras. Yes! Nesse meio tempo também coordenava um jornal de família e arriscava uns textos por lá sobre temas diversos. E dá-lhe licença poética!

A fotografia foi tomando corpo em minha vida, ocupando mais o meu tempo, e começou a virar trabalho. Então, criei esse novo blog mais voltado para meus trabalhos, mas também com alguns posts mais pessoais. Dentro dele, criei a coluna Café e Bate Papo com o objetivo de escrever mais sobre fotografia, trazendo dicas e reflexões sobre a profissão, sobre a fotografia como arte, sobre várias outras coisas da vida, e não apenas mostrando as fotos, como um portfólio. Aliás, nunca gostei desse negócio de só postar as fotos sem falar nenhuma palavrinha sobre elas. Por isso gosto tanto desse formato de blog. Se, por um lado, eu acho que todos nós profissionais somos, em certa medida, formadores de opinião e responsáveis pela construção do mercado, por outro, eu escrevo sem imaginar se alguém vai me ler. É muito doido esse negócio de internet!

Ao mesmo tempo, muitas mães me perguntavam quando eu ia dar um curso de fotografia para mães e pais. Ao mesmo tempo, eu me reunia com uma amiga que estava pensando em montar um blog para mães. Ao mesmo tempo, fotógrafos iniciantes me mandavam mensagens pedindo dicas e ajuda em fotografia de família e em fotografia de parto. Ao mesmo tempo, eu participava de cursos e workshops, trocando figurinhas com outros colegas, colocando mais itens em minha bagagem. Ao mesmo tempo, eu tinha vontade de montar meu próprio curso de fotografia de parto. Ao mesmo tempo, eu me via com mais vontade de escrever aqui nessa coluna. Ao mesmo tempo, algumas clientes me diziam que adoravam meus textos. Ao mesmo tempo, me vi com mais um blog, dessa vez de culinária.

E foi nesse contexto que, conversa vai conversa vem, a Fernanda do SOS Mães me convidou para ser colunista por lá. Colunista de um blog? Que chique! Mas aí me deu um frio na barriga… será que eu mega enrolada que sou conseguiria entregar os textos no prazo? Será que conseguiria escrever com a frequência que ela precisava? Será que teria criatividade e assunto suficientes para manter uma coluna? Mas como frio na barriga faz parte da vida e é propulsor de grandes passos, aceitei o desafio convite com muito gosto e hoje posso dizer com orgulho que faço parte de um grupo lindo e seleto de mulheres que fazem a diferença. É uma honra estar ao lado da Laís e Lorena da DimDom Babysitters, da Marcela Buralli, da Lud Pimenta, da Nina Schubart, para junto da Fernanda de Azevedo oferecermos ajuda da boa para as mães que nos leem.

Para quem ainda não conhece, o SOS Mães é um blog com muito conteúdo interessante – de diferentes áreas, mas com ponto central na maternidade – que tem como objetivo trazer informação e ajuda para mães. Qual é a mãe que não precisa de ajuda, não é verdade? Faça-nos uma visita! Sinta-se em casa. Se você está aqui, provavelmente se interessa por fotografia, e acho que vai gostar dos meus artigos publicados lá.

Há alguns dias, a Fernanda marcou um café para reunir as colunistas. Assim a gente poderia se conhecer pessoalmente, passar um fim de tarde diferente, trocar ideias, falar sobre nossas expectativas e impressões a respeito do projeto, expor sonhos e comer coisas gostosas, pois a gente não é de ferro! Foi uma delícia!

sos-01 sos-02

Felicidade geral com a chegada das sobremesas!

sos-03 sos-04 sos-05

Sim, merece aplausos!

sos-06 sos-07

A Fê, super atenciosa, nos deu um presentinho muito legal! Já tenho altos planos para o meu. 😉

sos-08 sos-09 sos-10 sos-11 sos-12 sos-13 sos-14 sos-15 sos-16 sos-17 sos-18 sos-19

Sentir sempre frio na barriga!

sos-20 sos-21 sos-22 sos-23 sos-24

E quem não quer pegar essa fofura no colo?

sos-25 sos-26 sos-27 sos-28

Tenho um carinho especial pelo SOS Mães e estou realmente orgulhosa de ter um espacinho além da minha casa para falar de fotografia. É um blog que acompanho antes mesmo de nascer. Posso traçar um paralelo com o carinho que tenho pelas crianças que fotografo ainda na barriga, que vejo nascer, que quero ver crescer. Esse bla bla bla todo foi para mostrar todo o fundamento do meu orgulho e felicidade. Quero ver vocês por lá e aceito sugestões de temas para os artigos.

Meninas lindas, temos que repetir o café! Foi bom demais!!! Estamos juntas!



Uma resposta para “Mainha, tô no SOS Mães!”

  1. Alyne disse:

    Que delícia!
    Não conhecia esse espaço e adorei.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *