Nascer em 2020, o ano que entrou para a história.

Quando a Ana entrou em contato comigo dizendo que esperava mais um bebê, dessa vez uma menina, a gente não imaginava o que estava por vir algumas semanas depois. Tiramos dúvidas, relembramos os detalhes sobre fotografia de parto, como a hora e forma de me avisar, autorização para entrada no hospital caso fosse necessária. Estava tudo certo, apenas esperando a Melissa dar sinais de sua chegada. Mas quem chegou antes dela foi um vírus que virou o mundo inteiro de cabeça pra baixo.

O cenário era incerto. Estávamos em isolamento social. Diante de uma pandemia, revi o contrato e deixei a Ana bem à vontade para rescindir caso se sentisse insegura em ter alguém em sua casa fotografando o parto. Ela também teve essa preocupação comigo e me deixou à vontade, dizendo que entenderia caso eu não me sentisse tranquila em sair de casa para fotografar seu parto. Conversamos com a médica para saber quais medidas poderiam ser adotadas para minimizar os riscos de contágio em um parto domiciliar. Depois de analisarmos todos os lados, decidimos conjuntamente manter o contrato, tomando os cuidados necessários e uma avisando a outra se aparecesse algum sintoma.

Era bem cedo quando chegou mensagem da Ana dizendo que tinha passado a noite anterior sentindo contrações irregulares, mas que estavam começando a apresentar um padrão mais regular. Cerca de uma hora depois eu já estava a caminho de sua casa, prestes a fotografar mais um nascimento na família. Tinha visto o Murilo nascer e agora era a vez da Melissa.

A Ana é uma das mulheres mais doces que conheci. Entre contrações já bastante doloridas dava carinho e atenção aos filhos. Explicava que quando não respondia a seus chamados era porque estava sentindo muita dor e que a dor fazia parte do processo do nascimento da irmãzinha. Eles já vinham sendo preparados para o parto, inclusive com uma bonequinha bem didática que tinha bebê e até cordão umbilical. Foram uns amores, ajudaram o pai a encher a banheira, de vez em quando iam dar um beijinho na mãe.

Além do carinho dos filhos, Ana teve amor, apoio e encorajamento o tempo inteiro do seu marido Ricardo e da sua doula, Alê Felix, com suas mãos de anjo e olhar tranquilo, daqueles que contagiam. Quando precisava, eu largava a câmera e oferecia minha mão pra ela apertar. As contrações iam ficando mais intensas e doloridas, mas Ana permanecia na sua doçura, concentrada no seu corpo, na sua respiração, na sua filha.

Pouco mais de três horas depois da minha chegada, nascia Melissa. Ela nasceu tranquila, na água. Foi gentilmente recebida por sua mãe, com ajuda da Dra. Rachel, a obstetra. O pai por perto e os olhinhos curiosos dos irmãos.

Fiquei emocionada de estar ali, contando mais um pedacinho da história da família da Ana e do Ricardo. Dessa vez, em circunstâncias tão especiais. Nem sei se os pequenos vão lembrar o que aconteceu nesse ano, mas possivelmente estudarão nos livros de história da escola. E terão fotografias.

Mais emocionada ainda eu fiquei depois de receber esses depoimentos tão lindos da Ana após receber as fotos:

“Ah que lindas! Obrigada, Ana! Cheguei a me questionar se não era futilidade continuarmos com as fotos nesse contexto de pandemia, mas justamente pelo momento é tão simbólico o parto domiciliar. Já abrimos mão de tanta coisa no pré e pós-parto da Melissa… acho que vai ser importante pra ela ter esses registros. E o ambiente de casa, com pessoas responsáveis em se proteger, é infinitamente mais seguro que o hospitalar, ainda que fosse só um acompanhante. Obrigada por ter topado! E por ter ajudado com todo o resto aqui no parto! 😘”

“Oi Ana! Ontem não consegui te escrever. Ameeeei demais as fotos ❤️❤️❤️❤️❤️❤️❤️

O que mais me impressionou foi que eu estava mais ou menos nas mesmas condições do parto anterior, mesmo cenário, praticamente as mesmas pessoas, mas as fotos saíram completamente diferentes! Realmente é um dom captar a emoção, você sempre vai além do clique. Sempre superando as expectativas. Ficaram lindas!!! 😍😍Muito obrigada! ❤️”

 

 

Equipe:

Médica obstetra: Rachel Reis

Doula: Alessandra Felix

Pediatra: Carolina Fontenelle

 

Facebook Comments



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *