O dia em que o Caboclo Sonhador encontrou a Fulô do Sertão

Sabe aqueles cantores de voz macia? De sotaque gostoso de ouvir? E se ainda for compositor de belas canções que falam do sertão, que falam de amor, que falam de alegria? Esse é Maciel Melo (de quem sou fã!), cantador pernambucano, natural de Iguaraci.

Já tem um bom tempo que as músicas de Maciel permeiam nossas festas e reuniões de família, mas a primeira vez que o vi pessoalmente foi no ano passado, em um show em Vitória da Conquista, interior da Bahia. Que show bom! Me acabei de dançar o forrozinho gostoso de Maciel. Fui sem câmera. Fui apenas tietar. Se já era fã, fiquei mais ainda.

Eis que um belo dia, graças ao poder do Facebook, vi que Maciel estaria em Brasília no dia seguinte. Na mesma hora fiz um telefonema de 1000 quilômetros de distância: “Mãe, tu não vai adivinhar quem estará aqui amanhã! Maciel!!!”. A euforia do outro lado da linha foi imediata, seguida da resposta “vou antecipar minha viagem de volta”. E assim foi! No dia seguinte estávamos lá, todos ansiosos pra ver o querido Maciel novamente. Dessa vez eu estava acompanhada de minha Preta. Não ia deixar passar sem registro, né?

Não fui como fotógrafa. Fui como fã que queria tirar fotos do artista que admira. Fui pra me divertir… pra dançar, cantar, tietar e fotografar sem compromisso.

O show foi em um lugar que adoro e frequento desde seu início… Fulô do Sertão. Restaurante de pratos nordestinos, decoração típica do sertão, cheia de cores e flores de chitão, palha, esculturas de barro e bonecos de pano. Lugar não muito grande e iluminação a velas nas mesas só deixam o Fulô mais aconchegante. Além do ambiente gostoso, se destaca pela programação cultural riquíssima, com vários artistas talentosos. A música ao vivo e de qualidade é mais um diferencial!

Maciel se apresentou sozinho, sem sua banda. Seu show foi recheado de causos entremeando suas canções. Seus causos arrancaram risadas e conquistaram a simpatia do público. Em um de seus causos, contou que ao chegar em uma cidade do nordeste (não me lembro a cidade nem o estado) pra fazer um show, ele vira pro taxista e pergunta “Tu conhece Maciel Melo?”. O taxista respondeu “moço, já ouvi falar mas não sei onde fica não”. Todos caíram na gargalhada! E foi com essa simplicidade e com seu sorriso largo que Maciel cantou e encantou quem estava no Fulô do Sertão. Ele começou o show sozinho, mas logo arrumou companhia… Luiz Gonzaga (isso mesmo!) na sanfona e Beto no triângulo. Eles foram pra assistir o show e quando vimos, já estavam no palco. Tudo na lei do improviso, parecendo roda de viola no quintal de nossa casa, em que sempre chega mais um e logo arruma um chocalho de latinha. Uma delícia!

Nesse dia aconteceu algo bem curioso. Eu estava inicialmente sentada na nossa mesa, mas logo me levantei pra fotografar de ângulos diferentes. Ficava em um cantinho, depois ia pra outro, tentando ser o mais discreta possível. Toda hora alguém vinha me perguntar se eu era fotógrafa de Maciel ou se era fotógrafa do Fulô. Eu sempre respondia “que nada! sou só fã de Maciel e estou aqui pra me divertir”. E mesmo assim, quando me dei conta as pessoas no final do show estavam posando pra mim, querendo comprar as fotos depois. Eu continuava afirmando que só estava ali pra me divertir e não pra vender fotos (mesmo porque não é o tipo de serviço que eu faço). Dava o endereço no blog pra que as pessoas pegassem as fotos quando eu postasse. Galera, as fotos estão aí! Peguem as suas!

Como eu também queria foto, a filhota assumiu o controle da Preta. Aproveitei pra levar uma foto que um primo tirou e me deu do show de Vitória da Conquista pra Maciel autografar.

E numa dessas poses, o artista fala pros demais “Rapaz… olha só o sorriso dessa fotógrafa!”. Aí é que eu abri o sorrisão mesmo! rs

Pra quem não sabe, entre as várias composições de Maciel uma das mais conhecidas é Caboclo Sonhador, já gravada por artistas como Fagner e Flávio José, que retrata sua saudade do sertão quando mergulhado na cidade grande.

“… Um coração tão sertanejo
Vejam como anda plangente o meu olhar
Mergulhado nos becos do meu passado
Perdido na imensidão desse lugar
Ao lembrar-me das bravuras de Nenem
Perguntar-me a todo instante por Baía
Mega e Quinha como vão? tá tudo bem?
Meu canto é tanto quanto canta o sabiá
Sou devoto de Padim Ciço Romão
Sou tiete do nosso Rei do Cangaço
E em meu regaço fulminado em pensamentos
Em meu rebento sedento eu quero chegar
Deixem que eu cante cantigas de ninar
Abram alas para um novo cantador
Deixem meu verso passar na avenida
Num forrofiado tão da bexiga de bom”

Caboclo Sonhador, Maciel Melo



3 respostas para “O dia em que o Caboclo Sonhador encontrou a Fulô do Sertão”

  1. Dani disse:

    Que fotos mais lindas Ana Paula! Parabéns!

  2. Renata disse:

    A tiete vai curtir o show e, despretensiosamente, realiza mais um lindo trabalho. Adorei as fotos. Adorei o post. Perfeito. Fiquei com água na boca para ir a um show de Maciel Melo e, também, para conhecer esse espaço, Fulô do Sertão. Espero que tenha alguma atração bacana quando eu puder visitar Brasília. Rs.
    Parabéns, viu?
    Beijo, beijo!

  3. Belíssimas fotos! Agradecemos o carinho.

Deixe uma resposta