Paixão de adolescência

Quem nunca teve paixões na adolescência que atire a primeira pedra! Algumas passam rápido e outras são mais duradouras. Uma das minhas duradouras, dessas que se arrastam até os dias de hoje, é por uns músicos mineiros (isso mesmo… meu coração é grande e cabe muita gente!), que me conquistaram de graça.

Desde a primeira vez que ouvi o Skank já virei fã! Sempre tinha uma música deles entre as minhas preferidas. Sempre uma música do Skank pra lembrar algum momento bacana. E desde então essa banda já fazia parte da trilha sonora da minha vida. Lembro que quando tinha show em Brasília, eu e minha “prima-irmã” Ângela estudávamos mais e nos comportávamos super bem pra não termos problemas na hora de pedir permissão em casa. Quando chegava o dia do show, ficávamos ali pertinho, tietando. Não queríamos saber de nada… nada de bebida, nada de paquera… só queríamos curtir a banda que tanto amávamos!

Os anos se passaram, mas a paixão não! Eu não ia mais a todos os shows deles como na época de adolescente, por motivos diversos. Mas estava sempre acompanhando os novos sucessos, sem tirar as antigas baladas da lista das músicas favoritas. Até que eu soube que teria show do Skank em Brasília, no Festival das Águas. Se eu já tinha ficado com vontade de ir, a certeza veio quando eu soube que exatamente naquele dia, dia 5 de junho, o Skank faria 20 anos de carreira. Claro que seria um show especial!!! E eu não perderia de jeito nenhum, mesmo sabendo que seria rápido por ter outras bandas na programação.

Lá fomos eu e minha filha. Ela animadíssima, pois seria seu primeiro show. E eu estava revivendo aqueles tempos da adolescência em que enfrentava mundos e fundos pra ir vê-los. A loucura já começou no estacionamento, sem ter onde colocar o carro. Poeira e buraco? Imagina! Gente mal educada? O que mais tinha! Mas eu me fixava em meu propósito e seguia adiante, até que consegui estacionar, desafiando algumas leis da física. Enfrentamos uma pequena multidão (soube pelo twitter que mais de 110 mil pessoas estiveram por lá) e por fim ficamos ali pertinho, cara a cara com esses amados mineirinhos.

Entre as novas e antigas baladas, eu me esbaldei! Vibrando, cantando, pulando, curtindo toda aquela energia boa. Me encantando com todo o carisma e a simpatia de Samuel Rosa com os fãs. Só sei que o Skank mostrou a que veio e arrebentou!!! Fez a multidão sair do chão e rodar a camisa! rs

Como era um festival gratuito e eu já imaginava que ia dar muita gente, empurra-empurra, preferi não levar minha câmera profissa. Seria mais um peso e mais uma coisa pra me preocupar (e preocupação era o que eu menos queria naquele momento). Então, levei minha companheirinha G12 e fotografei o show de câmera compacta mesmo. Afinal de contas eu não iria a um show do Skank sem fazer nenhum registro, né?

Para os colegas fotógrafos, fotografei em modo manual, em RAW e com iso no talo (3200). Só digo uma coisa… estou curtindo cada dia mais essa camerazinha. A bichinha é ousada (ouvi isso esses dias de um amigo e peguei seu termo emprestado)! E vamos às fotos!!!

Não sei se vocês sentiram pelas fotos, mas esse show foi pura animação (pra não colocar um palavrão, pois devo ter leitores menores de idade). Perfeito!  Pena que uma de minhas músicas preferidas no momento não estava no repertório. Mas tudo bem… o show valeu cada empurrão, cada buraco, o poeirão!

E ao Skank, que venham pela estrada muitos anos de sucesso!!!



2 respostas para “Paixão de adolescência”

  1. Rafa disse:

    É Aninha, olha eu me inspirando aqui pras fotos que virão em Recife! =)

    Que post lindo, que fotos lindas! Algumas absolutamente fantásticas, outras simplesmente lindas….

    E vendo as fotos, me bateu arrependimento de não ter ido. Teria curtido demais da conta, até pq, a paixão também fazia parte da minha adolescência.

    O projeto G12 vai longe, tive umas idéias mirabolantes!!! me aguarde!!

    Beijão e parabéns!! Arrebentou!

  2. Angela disse:

    Gata, adorei!
    Amei tudo… o post, as fotos! Nem sei dizer ao certo qual a minha foto preferida, gostei de tantas!
    Que saudade daqueles tempos, quantos shows… quantos momentos bacanas e inesquecíveis!
    Estou tentando imaginar a Lu se equilibrando no meio da multidão…
    Não sei se fico mais chateada por ter perdido o show do Skank ou por perder a chance de acompanhar a Lu em seu primeiro show…rs! Mas, muitos outros virão!
    Beijos!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *