Cada parto é uma aventura. Sete cuidados para minimizar perrengues.

#vidadefotografadeparto

Hoje vou fazer um post um pouco diferente… não vou falar de um parto específico, mas sim de um monte de trabalho, tudo junto e misturado. Minha ideia é fazer uma série de posts aqui no Café e Bate Papo, abordando diferentes aspectos da fotografia de parto e compartilhando minha experiência ao fotografar bebês nascendo ao longo dos últimos sete anos. O que você acha?

Se você acompanha meu trabalho (aqui está a categoria de partos), deve ter percebido que nessa área, ao longo do tempo, eu mudei o rumo e venho me dedicando a fotografar partos humanizados. Em outro post vou falar sobre essa escolha, tá? Voltando… quando falamos em parto normal, de uma forma geral independentemente de ser humanizado ou não, sabemos que é algo que não temos muito controle, seja com relação a quando vai acontecer como quanto tempo vai durar.

Na verdade, cada parto é uma aventura. Cada parto é único e rende uma história diferente. Muita coisa imprevisível pode acontecer. Mas e aí… o que nós fotógrafos fazemos quando temos um contrato fechado? Contamos com a sorte e deixamos tudo se desenrolar? Se der pra irmos para o hospital ou para a casa da família, bem… se não der, paciência? Não podemos fazer isso!

Temos que ter em mente o desejo e a expectativa da família que nos contrata. Estamos lidando com sonhos, com pessoas, e temos que manter o mínimo de controle daquilo que é possível, para ao menos minimizar problemas ou dificuldades na hora do parto.

Há muitos anos, quando eu fiz um curso para concurso, lembro de o professor falar sobre sorte. Ele disse que acreditava em sorte sim: quanto mais a gente estuda, mais sorte temos de cair um assunto que sabemos. Trazendo para nosso contexto, quando mais a gente se prepara, menor a chance de termos imprevistos. Segura aí essa ideia!

Lembrando que estou me baseando em minha experiência, vou apontar alguns cuidados que podem ser tomados antes de um parto. Em termos bem gerais, o trabalho funciona assim: somos chamados, vamos ao local do parto, fotografamos o trabalho de parto, nascimento e primeiros cuidados com o bebê, editamos as fotos e entregamos o trabalho pronto. Simples, né? Nem um pouco!

Bebês não marcam dia e horário para nascer e podemos ser acionados a qualquer momento, durante o dia ou durante a noite. Ah… e isso não acontece só com partos humanizados não, tá? Pode acontecer de uma cliente que está com cesárea agendada entre em trabalho de parto antes da data prevista e nos chame. Já aconteceu comigo mais de uma vez. É importante estarmos atentos e disponíveis para sermos chamados a qualquer hora, entre 38 e 42 semanas de gestação ou entre o período que você colocar no seu contrato. Além disso, sabemos a hora em que estamos começando a fotografar, mas não temos a menor ideia de quando iremos para casa. Assim, vou listar alguns dos cuidados que procuro ter em cada trabalho.

  1. Evite compromissos inadiáveis

Claro que não vamos parar toda a nossa vida durante esse período de disponibilidade para ficar esperando o trabalho de parto da cliente, mas é importante que nossas atividades possam ser interrompidas, se necessário. Então, se você tem um ensaio agendado para um período em que está esperando um parto, é interessante avisar a cliente do ensaio, por exemplo, da possibilidade de ter que remarcar caso você tenha que atender a cliente do parto.

  1. Tenha fotógrafo backup

Pode ser uma boa alternativa contar sempre com um colega (ou mais) como backup, que tenha experiência com fotografia de parto e cujo trabalho já tenha sido submetido e aprovado por sua cliente. Contar com backup nos deixa mais tranquilos no caso de termos compromissos inadiáveis, como eventos ou viagens, ou diante de quaisquer outros imprevistos que podem acontecer com qualquer pessoa.

  1. Esteja com o equipamento sempre pronto

Pode acontecer de termos que chegar ao local do parto bem rápido. Então, é importante estarmos com o equipamento sempre pronto, com as lentes adequadas, baterias carregadas e cartões vazios. No meu caso, como moro em local que tem muito trânsito para chegar no centro da cidade, durante o período de disponibilidade sempre saio de casa com um equipamento mínimo que me garanta fazer o trabalho. Sim… é pesado e arriscado andar com câmera o tempo inteiro, mas nem sempre posso ter tempo para ir em casa buscar o equipamento e depois me deslocar para o local do parto.

  1. Celular sempre ligado

Nem preciso dizer que o celular deve estar sempre ligado e perto de você, né? Cuidado para não ir dormir com o aparelho no modo silencioso! Pelo contrário… quando estou aguardando um parto, aumento o volume para não ter risco de não acordar caso seja chamada de madrugada.

  1. Descanse o quanto puder antes do parto

No medo de não acordarmos com uma ligação na madrugada, melhor não dormir, certo? Claro que não! Tente dormir mais cedo e descansar, pois nunca sabemos quanto tempo iremos ficar em um parto. Corpo e cabeça descansados trabalham melhor, especialmente considerando que fazemos um trabalho artístico, subjetivo e que demanda criatividade.

  1. Cuidado com a alimentação

Assim como é importante procurarmos estar descansados, também é importante procurarmos nos alimentar bem, de forma saudável. Ok, isso é conselho para a vida, mas caso a gente não tenha hábitos saudáveis todos os dias, é bom prestarmos um pouco mais de atenção com o que comemos nesse período em que estamos esperando por um parto. Assim, aumentamos a chance de estarmos bem dispostos durante o trabalho. Se possível, procure levar algo na bolsa (umas castanhas, talvez), caso o parto seja demorado. Nem preciso falar que o chopinho com os amigos deve ficar pra outro momento, né? Imagina… você está no bar e sua cliente te chama… Pois é! Fotografar partos envolve algumas escolhas e muita responsabilidade.

  1. Tenha plano B, C e D

Apesar de a vida de fotógrafo de parto ser meio louca, com horários malucos, não podemos deixar a rotina de nossa casa ser (muito) afetada com nossa ausência ou com nossa necessidade de sair a qualquer momento. Então, é sempre bom já pensarmos em planos alternativos, como alguém para deixar ou buscar os filhos na escola, passear com o cachorro, dinheiro para alimentação, meios de transporte, entre outros.

Esses são alguns dos cuidados que tento observar quando estou esperando um parto. Tem mais coisa, mas acho que esses são os mais importantes. São situações ideais, mas nem sempre são possíveis. E mesmo assim, partos são imprevisíveis, lembra? Mas confio na teoria da sorte do meu professor e sigo tentando minimizar possíveis surpresas e perrengues, procurando sempre atender da melhor forma possível as famílias que me confiam a missão de registrar um momento tão importante e significativo em suas vidas.

Agora queria ouvir de você… você já fotografa partos? Toma algum outro cuidado que eu não tenha mencionado? Me conte aí nos comentários! Ah… e se gostou desse post, tenho muitas ideias para a série #vidadefotografadeparto 😉 Se você tiver alguma sugestão de tema, me escreva. Vou adorar!

Facebook Comments



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *