Sonhos de infância {ensaio de família}

Muitos dos meus pequenos clientes me fazem voltar no tempo, para quando eu também era criança. Ao fotografar o Caiano, o que mais me chamou a atenção foi sua paixão e total interesse em cortadores de grama. Eu, que ando muito empenhada em revisitar a minha infância como parte da minha jornada de autoconhecimento, fiquei me questionando a respeito do que desperta o interesse de uma criança para determinadas atividades que, normalmente, são profissões no mundo adulto. Algo me diz que as crianças têm a capacidade de ver diversão em detalhes que nos passam despercebidos, muitas vezes. Em algum momento essas pequenas coisas passaram a não ser mais tão divertidas? O que continua divertido?

Viajei para o meu quarto de criança. Mesmo depois da escola, aquele quarto virava uma sala de aula. Bonecas, bichos de pelúcia e, por vezes, alguns soldados do meu irmão, após responderem a chamada, me olhavam, prestavam atenção em tudo o que eu falava. Eu era a professora e essa era uma das brincadeiras que eu mais amava. O que me fazia gostar tanto de ser a professora “de mentirinha” era escrever no quadro. Eu amava ver o giz deslizando na lousa, fazer uma letra bem bonita, desenhar para meus pequenos alunos.

Acredito que quando uma criança brinca de estar desempenhando algum trabalho é porque alguma coisa ali chama a atenção, se mostra divertida (uma verdadeira aventura!) ou representa uma forma de a criança exercer sua criatividade. Muitas histórias próximas de mim se passaram na minha cabeça. A criança que quer ser lixeira porque acha uma aventura andar pendurada em um caminhão de lixo. Não pode ouvir o barulho do caminhão que corre pra janela com os olhinhos brilhando. A criança que quer ser veterinária porque quer passar o dia com vários cachorros fofos que ela não pode ter em casa. A criança que quer ser pintora de parede porque ama tintas e cores e toda a lambança que dá para fazer ao pintar uma parede. A criança que quer ser lavadeira porque se diverte com baldes e bacias cheios de água e sabão. Ama aquela espuma e as bolinhas de sabão que de vez em quando são levadas pelo vento. O menino que quer ser cortador de grama porque é fascinado por aquelas máquinas barulhentas, pelo capacete e óculos de proteção, em ver a grama voando e sentir o cheiro da grama cortada. Esse é o Caiano! Menino que vi nascer.

Mas vamos voltar alguns anos… Uma cliente estava procurando uma fotógrafa para seu parto e teve uma indicação do meu trabalho. Entrou em contato comigo e combinamos um encontro em sua casa para que pudéssemos nos conhecer e conversar sobre a fotografia do parto. Quando ela abre a porta, era a Ju, minha colega dos tempos de Psicologia na UnB! Que delícia de reencontro!!! Não me lembro quantos dias se passaram, mas algum tempo depois eu voltava à sua casa para fotografar o nascimento do Caiano.

Lá se foram cinco anos e a Ju entra em contato comigo mais uma vez querendo fazer um ensaio de família em comemoração ao aniversário do Caiano. Marcamos um café pra gente matar saudade e combinar o ensaio. Nos encontramos, conversamos sobre projetos, estudamos algumas possibilidades de data para a sessão. Na verdade, conversamos sobre as sessões, pois a Ju também queria fazer um ensaio feminino para celebrar seu momento de vida, seu desenvolvimento profissional, uma formação que tinha acabado de concluir.

E onde faríamos as fotos? Foram várias ideias até que perguntei para a Ju qual era o local para onde o Caiano mais amava ir. O lugar onde ele mais se divertia e não via o tempo passar. Ela nem pestanejou… Leroy Merlin!!! Diante da minha expressão que era uma mistura de surpresa com muita animação, ela explicou que o Caiano AMA tudo relacionado a cortadores de grama e passa horas na Leroy olhando as máquinas. Inclusive, seu presente de aniversário seria um cortador de grama portátil para crianças.

Parte burocrática resolvida, fizemos as fotos no meio daquele tanto de cortadores de grama. O menino que chegou tímido se soltou. Seus olhos brilhavam dentro da loja. Fiquei impressionada com o conhecimento que o Caiano tem sobre cada máquina! Ele sabe a máquina adequada para cada tipo de grama, os combustíveis utilizados por cada uma, onde liga, como funciona, como limpa. Sem exagero, ele tem pós-graduação no assunto. Sério!!! Para completar sua felicidade, um dos vendedores arruma um capacete e óculos de proteção para que ele realmente incorpore o personagem. Fiquei emocionada em ver a alegria daquela criança, que virou um cortador de grama, com direito a sonoplastia. Me lembrei dos meus tempos de professora “de mentirinha”. Eu também entrei no mundo fantástico do Caiano e a brincadeira rendeu. O difícil foi sair de lá!

Desse reencontro, eu e a Ju retomamos o contato, a amizade, e estamos desenhando uma parceria linda que envolve fotografia e psicologia. Aguardem que vem um projeto cheio de novidade por aí! Me acompanhem no Instagram @anapaulabatista e no @almanua.retratos (o projeto tem a ver com fotografia de mulheres!!!), pois nesses perfis divulgarei mais a respeito do que estamos planejando.

Agradecimentos especiais à Leroy Merlin que nos permitiu fazer esse ensaio em uma de suas lojas!

Se você também quer fazer fotos da sua família para celebrar o momento que estão vivendo, para guardar essas lembranças, para reviver emoções no futuro, para ter um programa diferente em família, para eternizar o programa favorito de vocês… seja qual for a razão, me escreva!

Adoro contar histórias de família e será um prazer contar a história da sua!!! 😉

 

Facebook Comments



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *